terça-feira, 3 de novembro de 2009

FEIRA DA MÚSICA DO SUL!!



Carta aos músicos do Rio Grande do Sul


A cultura cumpre o fundamental papel de transmitir conteúdos simbólicos e de disseminar valores. No entanto, a importância estratégica da cultura tem

obtido o reconhecimento de governos em todo o mundo e da sociedade em geral em função das características que agrega enquanto geradora de empregos, de renda, e, portanto, como estimuladora do desenvolvimento e da inclusão social. Com a música não é diferente. Sabemos que um espetáculo musical ou mesmo um rotineiro ensaio movimentam a cadeia produtiva direta e indireta deste setor contribuindo com o desenvolvimento no seu sentido amplo: econômico, social e cultural. E a cadeia produtiva da música é vasta e rica, englobando desde os músicos e compositores, passando pelos selos, gravadoras, produtoras, casas de shows e bares, até o ramo da indústria alimentícia, bebidas, vestuário, acessórios, entre outros.

O fortalecimento desta cadeia passa, necessariamente, pelo estímulo à organização e a profissionalização de todos os que trabalham e vivem desta atividade. Em todo o mundo, está deflagrado este processo de organização. No Brasil, estamos testemunhando a retomada da Câmara Setorial da Música por parte do Ministério da Cultura, o fortalecimento do Fórum Nacional de Músicos e a representação da classe no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) onde os músicos possuem dois assentos, atualmente ocupados por Álvaro Santi (RS) e Adriano Araújo (PE).

Temos acompanhado iniciativas louváveis nacionalmente que caminham nesta direção, como o Circuito Fora do Eixo, a Feira da Música de Fortaleza, a Feira da Música Brasil e a formação de diversos coletivos. E, sem dúvida, um dos instrumentos capazes de contribuir com esta organização são as feiras e os festivais de música.

Na visão de outros Estados, o Rio Grande do Sul é peça chave para a conexão do mercado brasileiro com nossos vizinhos do Mercosul. Com o objetivo de colaborar com esta movimentação estamos organizando a primeira edição da Feira da Música do Sul. O projeto será realizado nos pavilhões da FENAC, em Novo Hamburgo , nos dias 19, 20, 21 e 22 de novembro deste ano. Nossa intenção é a de proporcionar um espaço privilegiado para o encontro dos músicos e demais integrantes desta cadeia produtiva com exposição de produtos e serviços, painéis e oficinas, rodadas de negócios, shows musicais, entre outras atividades. Antes, porém, entre setembro e outubro, realizamos o Circuito Gaúcho de Música em 19 cidades gaúchas com debates e shows acústicos, cumprindo com a função de mobilizar o Estado para Feira.

A Feira da Música é uma realização da GB Produtora, em parceria com a

Assembléia Legislativa, Fórum Permanente de Música do RS e FENAC. Tem o patrocínio da Petrobrás e Eletrobrás e o apoio da BM&A, CEEE, Sebrae, BNDES, Unimed e Converse.

Sabemos que fazem parte do perfil do artista gaúcho a perseverança e a

disposição para a boa luta. E julgamos ser, esta, uma boa e necessária luta. Por isso, queremos somar à Feira da Música do Sul a tua sensibilidade e experiência. Temos a convicção de que todo este esforço será ainda mais exitoso se pudermos contar com a tua contribuição.

*Fórum de Economia da Cultura do RS
Ronaldo Zülke
*Fórum Permanente de Música do RS
Moysés Lopes
*GB Produtora
Geisa Behnen
Entre no site da FEIRA DA MÚSICA DO SUL

Zuleica Spanevello


domingo, 1 de novembro de 2009

Buenas e m’espalho



Cristiano Quevedo – Érlon Péricles – Ângelo Franco – Shana Müller: Quatro jovens talentos da música gaúcha que estão juntos no palco para apresentar um show regional, com um pé na tradição e outro no agora, transparecendo as influências musicais de seu tempo.
O Show “Buenas e m´espalho” foi lançado em Porto Alegre em 2007, realizou programas especiais de televisão como Galpão Crioulo (RBS), Galpão Nativo (TVE) e Sem Fronteiras (Record) e já começou a percorrer o Rio Grande do Sul. Em 2007 foram shows em eventos como a Expointer, em Esteio; Laçador do Canto nativo, festival nativista de Porto Alegre; Aldeia da Música do Mercosul, em Gravataí, Semana Farroupilha de Alegrete e a Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana, principal festival de música do gênero no estado, onde além de terem realizado o show na noite final, venceram o evento com a composição “Céu na terra pelo Rio”.
O espetáculo traz a versatilidade musical e a personalidade de cada um dos artistas. O nome Buenas e M´espalho foi batizado pelo jornalista e crítico musical Renato Mendonça, que dedicou uma matéria ao grupo no Jornal Zero Hora.
Em 2008 registram no Cd Buenas e M'espalho o repertório deste show, em uma parceria com a Master Discos, de Santa Maria. Em 2009 o Cd recebeu a premiação de MELHOR CD REGIONAL no Prêmio Açorianos de Música, além do Prêmio de Melhor Instrumentista para Felipe Alvares e as indicações de Melhor Instérprete para Shana e Cristiano, Compositor para Érlon e ainda de instrumentista também para Paulinho Goulart.
Os quatro artistas identificam-se por buscar na música nativista a manifestação mais próxima entre a tradição e a linguagem de sua geração, sobretudo na disposição em reafirmar cada vez mais o gosto pelo regional na juventude. Uma ótima oportunidade para o público conhecer um pouco da música produzida no Rio Grande do Sul na atualidade.
(fonte: http://www.buenasemespalho.blogspot.com/)

Divulgados os vencedores do Prêmio Vitor Mateus Teixeira!!!


Vencedores
A edição 2009 premia o cantor Cristiano Quevedo; a cantora Loma; o declamador Odilom Ramos; a declamadora Liliana Cardoso; o trovador Macedinho; a trovadora Doralice Gomes da Rosa; o compositor Sérgio Rojas; o instrumentista Oscar Soares; o arrranjador Marcelo Caminha; o pajador Arabi Rodrigues; o produtor musical Maurício Marques; a capa de disco do grupo Sucessos de Ouro; o veículo de divulgação do artista gaúcho, programa Repontando a tradição, da Rádio Encanto AM, de Encantado; o grupo de show Cantadores do Litoral; o grupo de baile San Marino; o grupo de dança gaúcha Tebanos do Igaí; a bandinha típica alemã, La Montanara; o conjunto de música teuto-rio-grandense, Os 3 Xirus; e o conjunto de música ítalo-rio-grandense, Ricordi D’Italia.
Os premiados foram selecionados a partir de indicações de 23 parlamentares que participaram do prêmio. A escolha dos vencedores ocorreu na última sexta-feira (25), à tarde, quando os jurados reuniram-se para analisar as indicações. Compõem o jurado dois representantes do Sindicato dos Músicos Profissionais do RS, dois do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore; um representante do Movimento Tradicionalista Gaúcho, um da Fundação Vítor Mateus Teixeira, um do Sindicato dos Compositores Musicais do RS, além de diretor do Departamento de Relações Públicas e Atividades Culturais do RS.
(fonte: http://www.al.rs.gov.br/ag/NOTICIAS.ASP?txtIDMATERIA=235237&txtIdTipoMateria=1)


Contatos para show:
http://shanamuller.blogspot.com/
(51) 81393587 / 9192 0119
site:
 http://www.shanamuller.com/ em manutenção

INSTITUTO ESTADUAL DE MÚSICA



SHOW DE PIRISCA GRECCO
DIA 10 DE NOVEMBRO DE 2009.
TEATRO BRUNO KIEFER
CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA

JAIRO REIS
Diretor Interino
INSTITUTO ESTADUAL DE MÚSICA
SEDAC/RS
(51) 3226.9433

FESTIVAL DE FRONTEIRA





SITE OFICIAL
http://www.martinfierro.art.br/

O RIO GRANDE CANTA O COOPERATIVISMO JÁ TEM SUAS FINALISTAS!!


(Juliana Spanevello e Jean Kirchoff)


(Fatima Gimenez - foto: Juliana Spanevello)
Fátima Gimenez - cantora, jurada do festival, interpretou o Hino do Rio Grande do Sul na solenidade de abertura do evento.


Com a realização da quarta e última etapa classificatória, em Nova Palma, dia 30.10, o Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo já tem as 16 músicas que vão concorrer na etapa finalíssima, dia 16.11 em Gramado. O público tomou a frente da igreja matriz onde foi montado o palco do Festival promovido pelo Sescoop/RS. Além das 10 músicas concorrentes, a etapa de Nova Palma teve na abertura um espetáculo sobre a colonização italiana da região, apresentada por grupos locais e, ao final, um show com Luiz Marenco.
Foram escolhidas quatro músicas para a ultima etapa, sendo três pelos jurados e uma através de votação popular. A preferida dos presentes foi:
Força Cooperativa, com letra de Érlon Péricles e Binho Pires e música de Érlon Péricles. A interpretação foi de Leonardo Paim.
As outras três classificadas foram Quarteadas, de Aliomar Pereira Rodrigues e Adair de Freitas, defendida pelo próprio Adair e Nilton Ferreira; Reinventando o Estradear, com letra de Caine Teixeira Garcia e música de Robledo Martins e Rui Carlos Ávila, cantada pelos dois autores da música; e Tecelões de Rochdale, com letra de Armando Vasques dos Santos, música de Adão Quintana e Daniel Freitas dos Santos, interpretada por João Quintana.
(FONTE: OCERGS)


(Luciano Rodrigues - foto: Juliana Spanevello)